Contatos

Contatos

sábado, 2 de abril de 2011

Momento Saúde com Francisco Willy

Momento Família
OBESIDADE.
A Obesidade não é apenas um problema estético, mas importante fator de risco para doenças cardiovasculares, diabetes melito, hipertensão e outras condições. Os dados atuais são preocupantes, pois o numero de obesos tem aumentado com muita rapidez no Brasil. De acordo com a organização mundial de saúde a obesidade mata por ano, cerca de 300 mil pessoas nos Estados Unidos, e quase 100 mil no Brasil, sendo reconhecido hoje como um importante problema de saúde publica

Conceito:
 Obesidade é uma doença caracterizada pelo excesso de peso, ocasionado por um grande acúmulo de gordura corporal.

Causas da obesidade:
A obesidade é uma doença que depende de vários fatores para se desenvolver: a genética da pessoa, fatores culturais e étnicos, sua predisposição biológica, estilo de vida e hábitos alimentares.

Exemplos:
Sedentarismo (ou falta de atividades físicas).
Fatores ambientais (falta de espaço para lazer, grande quantidade de “fast foods” e lanchonetes de lanches rápidos, dificuldade de encontrar alimentos saudáveis em determinados locais).
Fatores genéticos e história familiar: As chances de um filho se tornar obeso são grandes quando os pais também são obesos.
Problemas de saúde: Algumas vezes, problemas hormonais podem causar sobre peso e obesidade, como o hipotireoidismo (redução ou falta do hormônio tireoidiano)
Medicamentos: alguns medicamentos podem levar a ganho de peso como alguns tipos de antidepressivos.
Fatores emocionais: algumas pessoas comem mais quando estão chateadas, estressadas ou nervosas.
Idade: ao envelhecer, a massa muscular corporal tende diminuir. Diminuindo também o gasto energético, favorecendo o ganho de peso.

Gravidez
As pessoas, no entanto, engordam por uma simples questão: consomem mais calorias do que gastam. Em outras palavras, não se alimentam de forma equilibrada e muitas levam uma vida sedentária. Se o corpo não usa a energia que ingeriu, por meio de atividades físicas, essa energia se transforma em gordura e se acumula no corpo, causando o aumento de peso. No entanto ha casos de obesos que comem pouco, mas têm grande capacidade de armazenar energia em forma de gordura, bem como magros que comem muito, mas seu organismo gasta o que foi consumido com enorme rapidez.

Sintomas da obesidade:
O ganho de peso geralmente se desenvolve ao longo do tempo. 
Os sintomas mais comuns da obesidade são:
As roupas começam a ficar apertadas e o indivíduo precisa vestir um tamanho maior do que o habitual.
Há aumento da gordura abdominal e do quadril.
            Há aumento do IMC (Índice de Massa Corporal) e da circunferência abdominal.

Diagnostico:
A técnica mais utilizada para diagnóstico da obesidade é o cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). O cálculo do IMC é baseado em uma relação entre o peso e a altura, sendo utilizado tanto para adultos quanto para crianças e adolescentes. O resultado revela se o peso está dentro da faixa ideal, abaixo ou acima do desejado.
Índice de Massa Corporal (IMC) é calculado dividindo-se o peso (em kg) pelo quadrado da altura (em metros).
IMC=peso (kg) / altura (m) x altura (m)

Tratamento:
A obesidade possui diversas formas de tratamento. As opções se relacionam diretamente com o grau de obesidade.

O Tratamento da obesidade é sempre necessário e implica primeiramente em firme determinação tanto do paciente obeso como de seu médico. Já que a obesidade na maioria das vezes resulta do aumento na ingestão de calorias em relação às calorias gastas, é importante a instituição de dietas hipocalóricas (baixas calorias).

Pessoas com Índice de Massa Corporal (IMC) até 35 podem ser tratadas apenas pelos métodos tradicionais (dieta, exercícios, medicamentos e mudança de hábitos), desde que não tenham desenvolvido nenhuma co-morbidade, isto é, não possuam nenhuma doença que tenha sido provocada pela obesidade. Em alguns casos há a necessidade de intervenção cirúrgica. 

Cuidado! Não deposite as esperanças do tratamento apenas no medicamento, pois o resultado depende principalmente das mudanças nos hábitos de vida (dieta e atividade física)

Prevenção:
Como a perda de peso é algo que requer muita força de vontade e disciplina, melhor do que combater é prevenir a obesidade. E o cuidado começa já na infância.
Como os hábitos de vida se desenvolvem desde a infância, incentivar as crianças a terem bons hábitos alimentares e a praticar exercícios físicos regularmente as ajudarão a chegar à idade adulta com peso normal e boa saúde.
De um modo geral, todos devem seguir uma boa dieta alimentar além de praticar atividades físicas regulares para manter um peso normal.
Como você pode concluir, a obesidade é um assunto que tem de ser encarado com muita responsabilidade e cuidado. Procure se informar melhor sobre o assunto e, se você sofre com excesso de peso, consulte seu médico regularmente para avaliar sua saúde.

FRANCISCO WILLY
Enfermeiro

Um comentário:

  1. Katson Fernandes2 de abril de 2011 11:13

    Olá grande Willy,

    Parabéns por mais uma execêlente exposição de habilidade profissional, e pela escolha de abordagem desse tema, que assola todo o mundo, e como citou não é apenas estética é saúde!
    Porém, complementando o que foi discutido, por sinal muito bem, e fazendo um recorte para a cidade de Riacho da Cruz, vamos ao assunto que ficou um pouco a desejar, as políticas públicas de prevensão a obesidade nesta cidade, peço-lhes autorização para fazer algumas colocações.
    O município de Riacho da Cruz, ganhou uma nova praça, no bairro projeto crescer que merece elogios à administração pela construção dessa obra, e o que tem a ver praça com obesidade??? calma irei explicar.
    Menciono aqui que tenho propriedade para falar do caso, pois fui diretamente atingido, na semana que estava presente na cidade, fui convidado pela geração saúde,(Sineone, Kayro, Wallison)a fazer um cooper na nova praça, não só a gente como um número significativo de pessoas também estavam realizando práticas física, emfim tem população interessada na atividade física, uma ferramenta essencial contra a obesidade.
    Então a questão é a seguinte, qual o motivo pelo qual a nova praça, não tem uma área de atividades esportivas, com equipamentos por exemplo, para fazer barras, abdominais, etc, assim como disseram -me( nunca vi) que em Viçosa, tinha uma área dessa, conheço várias praças aqui em Natal e Parnamirim, que disponibilizam desse espaço e mais, os usuários em algumas delas são acompanhados pelo profissional de educação física, nesse caso o bairro no qual está situada a praça, inclusive a poucos metros de distância, está o nosso companheiro Fagner, da Educação Física, porque não ser montado uma ídeia dessa na cidade, beneficiará a idosos, jovens, obesos e a todos que procuram fazer uma atividade física gratuíta.Mas nem tudo estar perdido e solicito a iniciativa do grande Fagner,que faça um projeto e sugira à apreciação pelo poder legislativo municipal.

    Desde já os convido para visitarem o novo Blog, que adentra na Blogosfera, o " VOZ INTERIORANA" o link está aí embaixo:

    http://katsonfernandes.blogspot.com

    Em geral, nove décimos da nossa felicidade baseiam-se exclusivamente na saúde. Com ela, tudo se transforma em fonte de prazer."
    (Arthur Schopenhauer)

    Katson Fernandes

    ResponderExcluir